Ansiedade – Vilã da Vida Moderna – Josiplessis Barros Pontes Marques

 

A humanidade vive um cenário cada vez mais desafiador, a nossa cultura está se desintegrando em termos éticos,  comparando-se a outras épocas. Pode-se destacar como variáveis associadas as crises sócio-político-econômicas e as intensas e constantes transformações comportamentais no mundo, que exigem adequação e como conseqüência, trazem uma sobrecarga física e emocional ao indivíduo, atrelado à pressões e temores, que podem afetar o seu equilíbrio biopsicosocial.

No entorno destes problemas sociais, nos deparamos com o crescimento da ansiedade, como  uma das grandes vilãs da vida moderna, caracterizada como um termo geral, que descreve a preocupação excessiva e antecipatória, sobre eventos futuros, envolvendo imaginariamente perigo iminente ou insucesso diante das situações cotidianas. A ansidade está relacionada à esquemas de pensamentos automáticos e disfuncionais perfeccionistas, associados à autocobranças intensas e desnecessárias e desejo de “ter a vida sob controle”. Como resultado, a ansiedade pode evoluir para um dos quadros de transtornos, desencadeando sintomas físicos de tensão e outros desconfortos fisiológicos, confundidos, em alguns casos mais severos, com crises hipertensivas, respiratórias ou infartos. Alterando assim, a sensação de bem-estar da pessoa.

Geralmente a ansiedade vem acompanhada por pensamentos de perda do equilíbrio, medos, ânsias, apreensões e insegurança, podendo afetar diretamente o pensar, o sentir e o agir do indivíduo.

Estes esquemas de pensamentos alterados são considerados a base originária dos transtornos ansiosos e um dos principais aspectos a serem avaliados e tratados, especialmente, porque é a partir do modo como decodificamos o mundo e os problemas que nos circundam, que sentimos e nos comportamos frente às situações imaginárias ou reais.

Neste contexto, vem intensificando-se o número e a gravidade de alguns destes transtornos de ansiedade, à exemplo do TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo); TAG (Transtorno de Ansiedade Generalizada); TEPT (Transtorno de Estresse Pós-traumático); Transtorno do Pânico, fobias generalizadas e específicas.

Observa-se na clínica psicoterápica, que reações ansiogênicas se desenvolvem, mais comumente, em indivíduos com predisposição genética ou que adquiriram esta tendência a partir dos fatores sócio-ambientais, inclusive nas relações familiares basais. No entanto, as novas abordagens da psicologia moderna, à exemplo da TCC, Terapia Cognitiva Comportamental, tem desenvolvido variados e eficazes métodos terapêuticos para a psicoeducação e enfrentamento dos sintomas, sem descartar que em muitos casos se faz  necessário o tratamento medicamentoso associado à psicoterapia.

Josiplessis Barros Pontes Marques

Psicóloga – CRP 13/2067

Centro Médico San Pietro – Rua Montevidéo, 720 – Sala 602 – Prata

Instagram : josiplessis_psicóloga

Load More Related Articles
Comments are closed.