Brasil: corrupção, violência e instável democracia

 

Nunca antes na história do Brasil aumentou tanto a consciência de que a violência e a corrupção, como a revelada pela “Operação Lava a Jato” são as causas principais da instabilidade democrática do nosso país. São vários os fatores que constroem o ambiente de insegurança pública e a corrupção é a mais forte delas, porque atua diretamente em todos os setores.

A insegurança precisa ser atacada em cima das suas consequências, mas também em cima das suas causas. E é justamente a corrupção que tanto tem contribuído para o aumento desenfreado da violência urbana. Ela deturpa os valores sociais e morais. Ela mata e por isso precisa ser combatida, uma vez que quando se desvia dinheiro público está se negando à população o direito à educação, à saúde, à segurança pública.

A intolerância com a corrupção precisa ser observada como uma arma letal contra corruptos e contra os corruptores. E isso não tem que partir necessariamente de líderes ou de grupos, mas sim de toda a sociedade. Alguém, como o juiz Sérgio Moro, pode até nos inspirar, mas essa força contra a corrupção tem que partir de nós mesmo. Ser a bandeira daqueles que acreditam que devemos virar essa página suja da nossa história e que podemos construir um futuro promissor para o nosso país.

Do contrário, se nós continuarmos assistindo tudo isso e elegendo “bandidos de estimação” jamais sairemos da situação na qual chegamos. É preciso ter consciência de que quanto mais tolerante formos menos desenvolvidos seremos e mais violenta será a nossa sociedade.

O combate à corrupção, se executado de forma contundente junto à sociedade, com certeza resultará em sobra de verbas para a educação, segurança pública e saúde. A impunidade criou o monstro. Mata-se o câncer da corrupção e dá-se vida longa aos cidadãos.

Artur Bolinha

Load More Related Articles
Comments are closed.