Diretor do Trauma alerta para números de morte no trânsito no país

 

Em entrevista à Rádio Campina FM, o diretor do Hospital de Emergência e Trauma, Geraldo Medeiros, comentou sobre as estatísticas de acidente de trânsito na Paraíba.

De acordo com ele, a média mensal de acidentados que dão entrada no Hospital de Trauma de Campina Grande, levando em consideração as mais de 150 cidades atendidas, além de município do Ceará, Rio Grande do Norte e Pernambuco, é de 750 a 800. Esse número, em sua maioria, é relacionado a acidentes de motos.

“Quando assumimos em 2011 em Campina Grande existia 45 mil motos, hoje o número é de 94 mil. Diante de um quadro desses, nos sentimos impotentes e a sociedade está perdendo essa guerra. O Brasil está sendo conhecido mundialmente como o país do trauma. Anualmente temos 200 mil brasileiros que morrem em decorrência disto. Ao longo dos anos, o governo federal não está conseguindo diminuir esses índices. É preciso se estimular o uso do transporte coletivo, no sentido de que a moto seja instrumento de lazer e não de sobrevivência”, comentou.

O médico ainda disse sobre a rotina do Trauma de Campina Grande, que é o maior hospital da Paraíba. Ele destacou que o hospital tem funcionado perfeitamente e que não existe lá cenas como vistas em outros estado, no que se refere aos hospitais do mesmo porte e especialidade.

“O Hospital de Trauma de Campina Grande é um dos melhores do Brasil e em decorrência disso estamos sempre realizando modificações. O Trauma hoje é a mãe de todos os hospitais de Campina Grande, porque é o único portas abertas da cidade e absorve todos os doentes, mesmo que não seja a função do mesmo. As entradas de acidentados no Trauma são maiores nos finais de semana. Temos 300 leitos, sendo 20 de UTI adulto e 10 de UTI infantil e a área vermelha que serve também com UTI. É esse contingente multiprofissional que permite que tenhamos resolutividade”, contou.

Load More Related Articles
Comments are closed.