Inadimplência tem 11ª alta seguida e atinge 62,9 milhões de brasileiros, aponta CNDL/SPC

 

O número de brasileiros com nome sujo teve alta de 3,63% em agosto na comparação com o mesmo mês do ano passado, a 11ª alta consecutiva nesta base de comparação. É o que aponta o levantamento divulgado nesta quinta-feira (13) pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito.

De acordo com a pesquisa, estima-se que há no país 62,9 milhões de consumidores inadimplentes. Isso significa que 41% da poulação adulta do país enfrenta dificuldades para controlar empréstimos, obter financiamentos ou realizar compras parceladas.

Apesar da longa série de aumento no número de inadimplentes, a alta de agosto foi menor que a dos dois meses anteriores. Em julho, o indicador teve alta de 4,31%, e em junho de 4,07% – também na comparação com os mesmos meses do ano passado.

Já na comparação mensal, ou seja, de julho para agosto, houve ligeira queda (-0,71%) no número de brasileiros com conta em atraso. Foi a segunda queda seguida. Para o presidente da CNDL, José Cesar da Costa, apesar do recuo, a situação econômica do país segue desfavorável para os consumidores quitarem suas dívidas.

“A recuperação econômica mais lenta do que o esperado cria dificuldades para a gestão do orçamento das famílias, frustrando planos e a volta do consumo. A reversão desse quadro passa por uma aceleração da atividade econômica, em especial, do emprego e renda, que são os fatores que mais pesam para a confiança do consumidor”, disse Costa.

G1 

Load More Related Articles
Comments are closed.