Peritos do IPC denunciam condições ainda precárias

 

Peritos do Instituto de Polícia Científica da Paraíba (IPC) de João Pessoa denunciaram que as condições de trabalho no local permanecem precárias. De acordo com o presidente do Sindicato dos Peritos Oficiais da Paraíba, Herbert Boson Eloy, não há previsão de regularização e a maioria dos insumos para realização dos serviços está em falta.

No mês de março o Ministério Público do Trabalho interditou o IPC da Capital após constatar uma série de irregularidades no local, no entanto, decisão judicial liberou o funcionamento.

Segundo Herbert, nem exames fundamentais como análises de DNA, balística, toxicologia, exames definitivos em drogas e impressões digitais estão sendo feitos no IPC.  “Nunca houve prioridade ou programação para esse material. Todo ano um setor ou vários param de uma vez. Quando a Vigilância Interditou o IPC, os peritos trabalhavam com 90% dos materiais vencidos”, contou.

Ele ainda informou que diversas investigações estão prejudicadas por conta disso. Herbert cita casos de estupros, que necessitam dos exames de DNA para confirmar a autoria do crime.

Uma outra investigação prejudicada é relativa a ossada humana encontrada no início de junho, que pode ser do menino Guilherme, desaparecido desde fevereiro. “Se depender do DNA para reconhecimento dele, a família não vai saber tão cedo”, disse.

A demora para o retorno dos serviços deve gerar uma demanda reprimida. Segundo Herbert, quando os insumos chegarem, o tempo para examinar todo o material retido é incalculável. “As armas mesmo estão ficando retidas, ela vão vir todas de uma vez só. Vai ser uma montanha, são cerca de 80 armas para serem analisadas por perito, a cada semana”, conta.

Situação será normalizada, garante IPC

Portal entrou em contato com o diretor do IPC, Fábio Almeida Gomes, que afirmou que situação já está sendo normalizada. “Temos trabalhado com afinco para recuperar tempo perdido”,  garantiu.

Segundo Fábio, a compra dos produtos leva tempo e a tramitação legal deve ser respeitada. Ele afirma que os insumos já estão chegando e há uma lista de prioridades. O diretor também contou que algumas áreas do Instituto funcionam normalmente.

Na próxima segunda-feira (2) as obras de recuperação do prédio devem ser iniciadas pela Suplan. Apesar de não estabelecer prazos, o gestor certificou que as instalações vão ser reformadas , os insumos breve chegarão e situação deve ser regularizada.

Load More Related Articles
Comments are closed.