Pesquisa desenvolvida no Hospital Regional do interior da PB é publicada em revista científica internacional.

 

A pesquisa científica intitulada “Perfil epidemiológico dos pacientes com lesões buco-maxilo-faciais: contribuições para a eficiência dos processos de gestão hospitalar”desenvolvida no Hospital Regional Felipe Tiago Gomes de Picuí-PB, pela equipe do cirurgião buco-maxilo-facial Dr. Edgley Porto (foto), foi publicada na edição número 18 da revista científica Brazilian Journal of Oral and Maxillofacial Surgery – BrJOMS.

“Esta pesquisa retrata os resultados preliminares de um projeto que tem sido realizado no Hospital Regional de Picuí desde 2012 e que estamos desenvolvendo como tema de dissertação no Mestrado da Universidade Federal da Paraíba. Consiste em um grande banco de dados que é alimentado diariamente com o registro de todos os pacientes atendidos pelo Serviço de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial, com o objetivo de traçar o perfil do paciente com lesão buco-maxilo-facial atendido pelo nosso Serviço, através da análise estatística de variáveis como gênero, faixa etária, cor da pele, condição socioeconômica, etiologia da lesão, local de procedência do paciente, diagnóstico, tipo de tratamento, dia e horário do atendimento”.

Destacamos abaixo alguns resultados da pesquisa:

Realizou-se um estudo observacional, do tipo transversal, por meio da análise de dados secundários. Por meio da amostragem não probabilística, foram analisados 344 prontuários médico-hospitalares e/ou fichas ambulatoriais de pacientes acometidos com lesões buco-maxilo-faciais durante o período compreendido entre janeiro de 2012 e outubro de 2014”.

Diante dos resultados apresentados, destacamos que houve maior prevalência entre os pacientes atendidos e provenientes da própria cidade de Picuí (53,5%), seguido por Cuité (7,0%) e Baraúna (6,1%). Esses pacientes encontraram-se na faixa etária de 21 a 30 anos (28,8%), com predominância do sexo masculino (53,5%), numa proporção de 1:1, sendo que 49,7% eram leucodermas e 32,3% eram agricultores.

No sexo masculino, o agente etiológico mais prevalente foi o acidente de moto (40,2%), predominante em praticamente todas as faixas etárias (de 0 a mais de 60 anos de idade). Para o sexo feminino, a maior prevalência foi de lesões patológicas (57,5%).

De um total de 208 traumatismos faciais, 86,1% corresponderam a traumatismos em tecido duro (fraturas), e 13,9%, a danos em tecidos moles (ferimentos). Entre as fraturas faciais, as fraturas do complexo zigomático-orbital foram as mais diagnosticadas (50%), seguidas pelas fraturas de ossos próprios do nariz, 27,9%. Das 115 lesões patológicas diagnosticadas, 29,6% corresponderam a tumores benignos, destacando-se, entre eles, a predominância de fibromas. 5,2% das patologias corresponderam a neoplasias, essencialmente do tipo carcinoma de células escamosas, com predominância na língua.

Dos 119 pacientes atendidos vítimas de acidente de trânsito, apenas 4,9% utilizaram algum E.P.I. (Equipamento de Proteção Individual), tal como capacete ou cinto de segurança, enquanto que a maioria (29,7%) não fez uso. 22,7% alegaram ter ingerido algum tipo de bebida alcoólica ou além de ter consumido bebida alcoólica, confessaram ter associado com alguma droga ilícita (tal como crack, cocaína), e 18,3% negaram ter consumido bebida ou ter utilizado droga.

O dia da semana de maior ocorrência dos traumatismos faciais foi o domingo (16,3%). O período da tarde (das 12h01 às 18h) foi o de maior ocorrência dos traumatismos faciais (24,7%), sendo o horário de maior pico das 16h01 às 18h (34,2%).

“Penso que esta pesquisa servirá de subsídio técnico para a direção do Hospital Regional de Picuí-PB e para os órgãos competentes, tais como as Secretarias Municipais e Estadual de Saúde da Paraíba, Departamento Estadual de Trânsito, Imprensa, bem como a Sociedade Civil em geral, a fim de que juntos tenhamos melhores condições de formular políticas públicas à essa população do estudo, direcionando com eficiência os recursos com vistas a dar maior prioridade a campanhas preventivas e maior resolutividade no tratamento dos pacientes no próprio município de Picuí, evitando as transferências dos mesmos para os grandes centros como Campina Grande-PB e João Pessoa-PB, o que ocasionará o aumento na superlotação dos hospitais daquelas cidades”.

“Quero agradecer e pedir forças a Deus de poder continuar desenvolvendo esse projeto e expressar aqui minha gratidão a todos que fazem parte do Hospital Regional Felipe Tiago Gomes de Picuí-PB, desde o pessoal de apoio, maqueiros, técnicos, enfermeiros e médicos, indistintamente, sem é claro deixar de ressaltar o apoio da direção, sem o qual não teríamos como desenvolver esta pesquisa”.

Para acessar a pesquisa na íntegra clique no link abaixo:

http://www.revistacirurgiabmf.com/2018/02/v18.n2.html

Fonte: Dr Edgley Porto

Mestrando pela Universidade Federal da Paraíba; Especialista em Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial pela Universidade Estadual da Paraíba (2009); Especialista em Implantodontia pela Funorte/SOEBRAS (2017); Especialista em Gestão em Saúde/ Gestão Hospitalar pela Universidade Estadual da Paraíba (2015); Pós-graduado em Ortodontia pela CIIODONTO (2015); Membro do Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial.

Atua nas áreas:

– Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Faciais;

– Cirurgia Ortognática;

– Cirurgia Artroscópica das ATMs

– Implantes Dentais;

– Dor Orofacial e Disfunção Têmporo-Mandibular;

– Diagnóstico e Patologia Bucal

Contato:

Email: edgleys.porto@hotmail.com

Fanpage:http://www.facebook.com/pages/Dr-Edgleys-Porto-Cirurgia-e-Traumatologia-Buco-Maxilo-Facial/342241135868911

Twitter: @DrEdgley_Porto

Unidades:

  1. Rua Rodrigues Alves, 105 – Prata, Campina Grande-PB. Fone: (83) 3341-5803.
  2. Rua Vidal de Negreiros, 70 – Centro, Campina Grande-PB. Edifício Nenzinha Cunha Lima. 6o Andar. Sala: 605. Fone: (83) 3322-3719
  3. Rua Carlos Alberto de Sousa, 341 – Bodocongó, Campina Grande. Fone: (83) 98873-9383.
Load More Related Articles
Comments are closed.