Prefeitura de Campina acusa hospital de Trauma de nega prontuários de “agulhadas” no Parque do Povo

 

A Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Campina Grande teve o acesso negado, nessa sexta-feira (15), aos prontuários de pacientes que teriam sido furados com agulhas durante o Maior São João do Mundo e atendidos pelo Hospital de Trauma da Cidade.

De acordo com a Secretaria, foi encaminhado um memorando, assinado pela secretária Luiza Pinto, solicitando as informações, mas teve o pedido indeferido pela direção do Trauma, que teria argumentado, segundo a pasta, que todos os detalhes já foram repassados para Polícia Civil e não seriam encaminhados para outros órgãos.

A secretária informou que pedirá auxílio do Governo Federal para tentar ter acesso aos documentos. “Se não obtivermos na segunda-feira, informaremos ao Ministério da Saúde, para que eles possam adotar as medidas para colher as informações epidemiológicas”, disse.

A reportagem tentou entrar em contato com o diretor do Hospital de Trauma, Geraldo Medeiros, mas até o fechamento desta matéria não obteve sucesso.

Ontem, o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, insinuou que as supostas agulhadas tem motivação política, para tentar sabotar a festa.

MaisPB

Load More Related Articles
Comments are closed.