15 de outubro de 2021
recadao@pagina1pb.com.br
DestaquesParaíba

Adriano Galdino defende Queiroga e questiona imprensa por divulgação do gesto obsceno

Presidente da Assembleia Legislativa atribuiu cena a tentativa de “fritura” do paraibano.

Apesar da presença de deputados bolsonaristas na Assembleia Legislativa da Paraíba, quem saiu em defesa do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, foi o presidente da Casa, Adriano Galdino (PSB). Na sessão desta terça-feira (21) ele minimizou os gestos obscenos dirigidos pelo paraibano  aos manifestantes contrários ao governo Bolsonaro, em Nova York.

Galdino disse que o vídeo foi mostrado de forma isolada e não mostra as provocações de que ele foi alvo. Responsabilizou a imprensa por não divulgar o que motivou a cena, como se houvesse alguma provocação que justificasse ele estirar o dedo médio às pessoas que foram protestar (democraticamente, vale ressaltar) pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro.

O argumento do presidente da Assembleia é que estaria havendo uma espécie de tentativa de descredibilizar o bom trabalho que vem sendo realizado pelo paraibano. “Ninguém se engane que essa fritura contra o ministro paraibano é para colocar um ministro de outro estado e diminuir o Nordeste. Essa fritura é organizada e tem o intuito de diminuir a nossa política”, declarou.

Veja também  CPI da Pandemia deve convocar Marcelo Queiroga pela terceira vez

 

A deputada Drª Paula (Progressistas) foi a única dentre os parlamentares que se acostaram às declarações de solidariedade de Adriano Galdino.

Os dois queriam justificar a perda do controle do ministro. Uma defesa mal feita. Queiroga é gestor público, da principal pasta do governo, em meio a uma pandemia, e estará sempre sob pressão da imprensa e da sociedade. Faz parte do trabalho dele manter o equilíbrio. Para defender o trabalho do paraibano não precisa assinar em baixo de um erro.

Veja vídeo publicado pelo Congresso em Foco:

Redação Página1 PB
Fundado em junho de 2017, o Página1 PB é um portal de notícias sediado em Campina Grande (PB), que tem compromisso com o verdadeiro jornalismo. Afinal, o Jornalismo mudou. Mas a verdade não!