Bolsonaro oficializa reforma ministerial e promove seis mudanças no governo

Bolsonaro oficializa reforma ministerial e promove seis mudanças no governo

O presidente Jair Bolsonaro realizou nesta segunda-feira (29) uma reforma ministerial com seis trocas no primeiro escalão do governo. As trocas foram anunciadas pelo Palácio do Planalto.

Veja quem são os novos ministros:

  • Casa Civil da Presidência da República: Luiz Eduardo Ramos, atual ministro da Secretaria de Governo;
  • Ministério da Justiça e Segurança Pública: delegado da Polícia Federal Anderson Torres, atual secretário de Segurança Pública do Distrito Federal;
  • Ministério da Defesa: general Walter Souza Braga Netto, atual chefe da Casa Civil;
  • Ministério das Relações Exteriores: Embaixador Carlos Alberto Franco França, que atuava no cerimonial do Itamaraty;
  • Secretaria de Governo da Presidência da República: deputada federal Flávia Arruda (PL-DF);
  • Advocacia-Geral da União: André Luiz de Almeida Mendonça, que já chefiou a AGU no início do governo e estava atualmente no Ministério da Justiça.

As mudanças surpreenderam porque, até o fim de semana, a única troca tida como provável nesta semana era a do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

Criticado por sua atuação durante a pandemia, o chanceler teve a demissão pedida por deputados e senadores e, no domingo (28), sacramentou sua saída após um atrito com a senadora Kátia Abreu (PP-TO).

Bolsonaro aproveitou a saída de Araújo para realizar uma reforma maior em sua equipe ministerial. O governo atualmente tem 22 ministérios – a independência do Banco Central aprovada pelo Congresso fez com que a instituição deixasse de ser contabilizada nessa lista.

G1