Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Brasil

Câmara mantém texto de PEC com aumento do Auxílio Brasil

ADCO941 BSB - 13/12/2017 - CONGRESSO / CAMARA- POLÍTICA – Sessão do Congresso Nacional presidida pelo senador Eunicio Oliveira presidente do Senado, no plenário da Câmara dos Deputados em Brasilia. FOTO: ANDRE DUSEK/ESTADAO

O deputado Danilo Forte (União-CE), relator na Câmara da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que concede uma série de benefícios sociais em ano eleitoral, afirmou nesta terça-feira (5) que vai manter o texto aprovado no Senado, a fim de agilizar a votação pelos deputados e o pagamento dos auxílios previstos no texto já para o próximo mês.

Discutida a três meses das eleições, a PEC aumenta o valor do Auxílio Brasil de R$ 400 para R$ 600, dobra o valor do Vale-gás e cria um auxílio de R$ 1 mil específico para caminhoneiros.

 

O texto prevê até o fim deste ano:

Auxílio Brasil: ampliação de R$ 400 para R$ 600 mensais, cadastro de 1,6 milhão de novas famílias no programa (custo estimado: R$ 26 bilhões);

Caminhoneiros: criação de um “voucher” de R$ 1 mil (custo estimado: R$ 5,4 bilhões);

Vale-Gás: Ampliação de R$ 53 para o valor de um botijão a cada dois meses — o preço médio atual do botijão de 13 quilos, segundo a ANP, é de R$ 112,60 (custo estimado: R$ 1,05 bilhão);

Transporte gratuito de idosos: compensação aos estados para atender a gratuidade, já prevista em lei, do transporte público de idosos (custo estimado: R$ 2,5 bilhões);

Taxistas: benefícios para taxistas devidamente registrados até 31 de maio de 2022. O valor total dessa medida será de até R$ 2 bilhões;

Alimenta Brasil: repasse de R$ 500 milhões ao programa Alimenta Brasil, que prevê a compra de alimentos produzidos por agricultores familiares e distribuição a famílias em insegurança alimentar, entre outras destinações;

Etanol: Repasse de até R$ 3,8 bilhões, por meio de créditos tributários, para a manutenção da competitividade do etanol sobre a gasolina.

Em todos os casos, os benefícios acabam em dezembro deste ano.

A decisão favorece o presidente Jair Bolsonaro e atende o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). A ideia é usar a matéria para alavancar a popularidade do presidente às vésperas da eleição. Uma mudança no texto obrigaria que a proposta voltasse ao Senado, atrasando o pagamento dos benefícios.

Redação Página1 PB
Fundado em junho de 2017, o Página1 PB é um portal de notícias sediado em Campina Grande (PB), que tem compromisso com o verdadeiro jornalismo. Afinal, o Jornalismo mudou. Mas a verdade não!