Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Política

Campanha de Maranhão recebeu R$ 900 mil de Temer em 2014; paraibano foi o senador mais agraciado pelo presidente

O senador José Maranhão e outros dois paraibanos estão entre os 77 candidatos que receberam recursos repassados pela campanha do então vice-presidente Michel Temer em 2014. O parlamentar, segundo o colunista Lauro Jardim, de O Globo, foi o postulante ao Senado mais agraciado por Temer, com repasses que totalizaram R$ 900 mil. A informação está na coluna do jornalista desta quinta-feira (22).

O levantamento feito pelo colunista mostra que Michel Temer destinou mais de R$ 11,6 milhões aos candidatos, sendo 71 do PMDB, dois do PT e 1 do PDT. Entre os candidatos a governador, o maior repasse foi feito ao hoje adversário político Roberto Requião (PMDB-SC): R$ 1,18 milhão.

De acordo com a prestação de contas de Michel Temer, disponibilizada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), quatro repasses foram feitos à campanha de José Maranhão. Dois deles são de recursos oriundos da OAS e totalizam R$ 600 mil. Outros R$ 300 mil foram doados pela JBS. As doações são consideradas legais, já que constam na prestação de contas da campanha.

O então candidato a deputado federal, hoje vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior (PMDB), e o deputado estadual Trócolli Júnior, que mudou de partido e hoje está no PROS, também receberam recursos da campanha de Temer: R$ 150 mil, cada um. Os recursos são oriundos da OAS.

O colunista Lauro Jardim decidiu abordar o assunto em razão da decisão do presidente Michel Temer de não falar sobre o tema, abordado em duas das 82 perguntas da Polícia Federal. O levantamento feito pelo colunista mostra que Rodrigo Rocha Loures – o “homem da mala” – foi o quarto maior beneficiado entre os candidatos a deputado federal, com R$ 200 mil.

 
Redação
the authorRedação
Fundado em junho de 2017, o Página1 PB é um portal de notícias sediado em Campina Grande (PB), que tem compromisso com o verdadeiro jornalismo. Afinal, o Jornalismo mudou. Mas a verdade não!