20 de janeiro de 2022
recadao@pagina1pb.com.br
Brasil

Carnaval 2022: Globo enfrenta rejeição aos desfiles em meio a surto de Covid-19 e se desespera

Dona dos direitos de transmissão dos desfiles das escolas de samba em São Paulo e no Rio de Janeiro, a Globo precisará lidar com a rejeição aos eventos em 2022. Mesmo com o aumento de casos de Covid-19 e gripe, os órgãos públicos decidiram manter a realização da festa. A decisão é vista como contraditória, pois os blocos de rua foram cancelados.

Em 13 de dezembro, antes da nova onda de coronavírus puxada pela variante ômicron e das internações por influenza, 87% dos brasileiros se posicionavam contra a realização do Carnaval em suas respectivas cidades neste ano. Outros 9% eram favoráveis, e 4% não souberam responder. Os dados são de uma pesquisa PoderData, que ouviu 3 mil pessoas.

Agora, com os telejornais da própria Globo noticiando diariamente o crescimento de internações e de pessoas afastadas do trabalho por causa das novas infecções virais, a aceitação aos desfiles nos sambódromos de São Paulo e Rio de Janeiro está ainda mais comprometida.

Questionada pelo Notícias da TV sobre a posição institucional em relação aos eventos, a dona dos direitos de transmissão do Carnaval 2022 informou que respeita as decisões do poder público. Leia a íntegra da nota abaixo:

Como detentora dos direitos de transmissão dos desfiles, a Globo tem absoluto respeito às decisões do poder público, das autoridades de saúde e dos organizadores dos eventos. Isso acontece não apenas com o Carnaval, mas com qualquer evento ou competição impactada pela pandemia.

Decisões de RJ e SP

Jornalisticamente, os programas da Globo têm noticiado as decisões dos órgãos públicos e apontado, inclusive, as contrariedades de algumas medidas. Na última sexta-feira (7), o RJ2 informou que o comitê científico que orienta o Estado do Rio de Janeiro pediu que os desfiles das escolas de samba na Marquês de Sapucaí fossem cancelados ou adiados.

No entanto, o secretário estadual de Saúde, Alexandre Chieppe, avisou que a festa, ao menos por enquanto, está mantida. No Estado fluminense, foram registrados 22.355 testes positivos de Covid-19 apenas nos sete primeiros dias de 2022, mais do que o dobro dos 8.897 casos de dezembro inteiro. O avanço da ômicron explica o aumento.

“Os blocos de rua estão suspensos em função da dificuldade de se adotar protocolos mais rígidos. Nesse momento, considerando a tendência dessa transmissão [de ômicron], do que a gente vê em outros países, de ela ser curta, de ela durar pouco tempo por conta da alta transmissibilidade desse vírus, é de que o Carnaval da Sapucaí seja mantido, adotando os protocolos de segurança necessários”, explicou o secretário no RJ2.

A situação é parecida com a de São Paulo. Na última quinta-feira (6), o prefeito Ricardo Nunes fez uma coletiva de imprensa para informar sobre o cancelamento dos blocos de rua e a manutenção dos desfiles no Anhembi. Os protocolos, segundo o político, serão definidos com a vigilância sanitária da cidade, em parceria com a Liga das Escolas de Samba de São Paulo.

O governador João Doria informou que o Estado vai proibir festa de Carnaval em salões, ambientes fechados e na rua. O evento com as escolas de samba, porém, está mantido e permanecerá sob “análise” nas próximas semanas. Veja o depoimento abaixo:

Embora seja uma decisão também do município, está sendo avaliado. Se tivermos uma evolução e um agravamento com esta variante ômicron, o tema será revisto, sim. Não é o caso ainda, estamos acompanhando, mas dada a evolução acelerada, é um ponto de cautela e preocupação.

Terra Brasil Notícias

Redação Página1 PB
Fundado em junho de 2017, o Página1 PB é um portal de notícias sediado em Campina Grande (PB), que tem compromisso com o verdadeiro jornalismo. Afinal, o Jornalismo mudou. Mas a verdade não!