Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Cidades

Confira locais para visitar em Campina Grande durante o São João

Conhecida por sua festa de São João, Campina Grande, no Agreste paraibano, este ano realiza 31 dias de programação, quando a cidade passa a respirar forró 24 horas por dia. Mas além da programação de shows, a cidade conta com várias outras opções para visitar e comer o melhor da culinária regional. O G1 preparou uma lista de sugestões de endereços que podem ser visitados durante a festa na cidade. O evento este ano começou na sexta-feira (2) e segue até o dia 2 de julho.

Parque do Povo conta esrtutura de cidade cenográfica e palco com shows gratuitos todas as noites (Foto: Reprodução/TV Paraíba/Arquivo)

Parque do Povo conta esrtutura de cidade cenográfica e palco com shows gratuitos todas as noites (Foto: Reprodução/TV Paraíba/Arquivo)

Parque do Povo

Não dá pra falar de ‘Maior São João do Mundo’ sem falar no Parque do Povo, já que a praça de eventos é o foco da festa. Para os 31 dias é montada a grande estrutura de uma cidade cenográfica com réplicas de prédios históricos da cidade como o Cassino El Dolrado, Correios e Telégrafos, Vila Nova da Rainha e Catedral de Nossa Senhora da Conceição. O Parque do Povo fica no Centro da cidade.

A estrutura ainda conta com três palcos, sendo um principal em formato 360 graus para grandes shows, outro na Pirâmide e um terceiro com para apresentações culturais, além de duas palhoças de forró pé-de-serra. No local, o visitante ainda encontra cerca de 240 barracas, bares e quiosques e 31 camarotes.

Durante as 31 noites há shows e apresentações culturais nos palcos e a entrada é gratuita. Entre os principais shows confirmados para este ano estão artistas como Wesley Safadão, Elba Ramalho, Aviões do Forró, Luan Santa, Henrique e Juliano, Simone e Simária e outros. Confira a lista completa de shows.

Sítio São João é aberto ao público em Campina Grande (Foto: Reprodução/TV Paraíba)

Sítio São João é aberto ao público em Campina Grande (Foto: Reprodução/TV Paraíba)

Sítio São João

O Sítio São João é uma vila que reproduz como eram as casas e prédios de uma cidade sertaneja do Nordeste em meados da década de 1940, a exemplo de casas de taipa. Todos os objetos utilizados na decoração e a estrutura dos ambientes são reais. Alguns artigos têm mais de 500 anos. Para entrar no local é preciso comprar um ingresso. O valor para este ano ainda não foi divulgado, mas no ano passava variava de R$ 5 e R$ 10. O sítio é montado na Avenida Canal, no bairro Catolé.

Vila do Artesão tem roupas, presentes e  apresentações cultutais neste nos fins de semana (Foto: Rondinelle de Paula/Arquivo Pessoal/Arquivo)

Vila do Artesão tem roupas, presentes e apresentações cultutais neste nos fins de semana (Foto: Rondinelle de Paula/Arquivo Pessoal/Arquivo)

Vila do Artesão

O visitante que quiser levar uma ‘lembrancinha’ para amigos e familiares ou comprar roupa de algodão colorido, renda ou artigos para casa, tem na Vila do Artesão um passeio obrigatório. Ao todo são 70 chalés com venda de artesanato de couro, renda, algodão colorido, madeira, argila e outros itens.

O lugar também tem espaço gastronômico com várias comidas típicas da região, como os alimentos à base de milho. Todos os sábados, das 14h as 17h tem o “Forró na Vila” com shows gratuitos. A Vila do Artesão funciona todos os dias das 10h às 17h e fica na Avenida Almeida Barreto, no bairro São José.

Salão do Artesanato da Paraíba acontece a partir de 10 de junho, em Campina Grande (Foto: Francisco França/Secom-PB/Arquivo)

Salão do Artesanato da Paraíba acontece a partir de 10 de junho, em Campina Grande (Foto: Francisco França/Secom-PB/Arquivo)

Salão do Artesanato

Outra opção para conhecer e comprar artesanato é o Salão do Artesanato. O evento acontece todos os anos e reúne artesãos de várias regiões da Paraíba com as mais variadas tipologias de produção. Este ano o salão vai ser aberto no sábado (10), com entrada gratuita.

O Açude Velho é um dos cartões postais mais embleáticos de Campina Grande (Foto: Ligia Coeli)

Açude Velho

O Açude Velho é considerado o principal cartão-postal de Campina Grande. Localizado entre o Centro da cidade e o Bairro Catolé, o manancial é cercado por um calçadão com pistas para corrida e ciclovia com extensão de 2,3 km. O Açude Velho foi construído no século de 1800 e já abasteceu Campina Grande. O local é um dos mais procurados para fotos, principalmente no fim da tarde, quando ocorre o pôr do sol.

'Museu ds Três Pandeiros' tem três exposições e a entrada é gratuita (Foto: Reprodução/TV Paraíba)'Museu ds Três Pandeiros' tem três exposições e a entrada é gratuita (Foto: Reprodução/TV Paraíba)

‘Museu ds Três Pandeiros’ tem três exposições e a entrada é gratuita (Foto: Reprodução/TV Paraíba)

Museu da Arte Popular da Paraíba

O Museu da Arte Popular da Paraíba (MAPP), conhecido popularmente como Museu dos Três Pandeiros, também fica às margens do Açude Velho. A obra de Oscar Niemeyer tem uma estrutura de três partes que se projetam sob o espelho d’água. No local são encontrados arquivos históricos e peças como cordéis, livros literários, peças de artesanato. Um dos setores é dedicado à música paraibana, contando com discografias completas e até roupas de artistas consagrados como Marinês e Jackson do Pandeiro. A entrada é gratuita.

Monumento Os Pioneiros da Borborema homenageia as figuras do índio, da catadora de algodão e do tropeiro (Foto: Gustavo Xavier / G1)Monumento Os Pioneiros da Borborema homenageia as figuras do índio, da catadora de algodão e do tropeiro (Foto: Gustavo Xavier / G1)

Monumento Os Pioneiros da Borborema homenageia as figuras do índio, da catadora de algodão e do tropeiro (Foto: Gustavo Xavier / G1)

Monumento Pioneiros

Ainda na margem do Açude Velho, outro local bastante visitado na cidade são as estátuas dos “Pioneiros da Borborema”. O monumento foi inaugurando quando Campina Grande completou 100 anos de emancipação. Os pioneiros são representados pelo índio, mulher catadora de algodão e o tropeiro.

Jackson do Pandeiro e Luiz Gonzaga são homenageados no monumento Farra de Bodega, às margens do Açude Velho (Foto: Gustavo Xavier / G1)Jackson do Pandeiro e Luiz Gonzaga são homenageados no monumento Farra de Bodega, às margens do Açude Velho (Foto: Gustavo Xavier / G1)

Jackson do Pandeiro e Luiz Gonzaga são homenageados no monumento Farra de Bodega, às margens do Açude Velho (Foto: Gustavo Xavier / G1)

Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro

Continuando na margem do Açude Velho, um dos pontos turísticos mais visitados é o monumento em homenagem a Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro. A obra do campinense Joás Pereira Passos é feita de bronze e em tamanho real, retratando os artistas tocando seus instrumentos, pandeiro e sanfona, ao lado de uma mesa com comidas e bebidas típicas do Nordeste. O monumento foi inaugurado em 2003.

Monumento foi feito em comemoração aos 150 anos de Campina Grande (Foto: Gustavo Xavier / G1)Monumento foi feito em comemoração aos 150 anos de Campina Grande (Foto: Gustavo Xavier / G1)

Monumento foi feito em comemoração aos 150 anos de Campina Grande (Foto: Gustavo Xavier / G1)

Sesquicentenário

O monumento mais novo de Campina Grande foi construído em 2014 em homenagem aos 150 anos da cidade. A obra é representada pelos Tropeiros da Borborema, mercadores que transportavam produtos entre o litoral e sertão da Paraíba e, durante as viagens, faziam paradas em Campina Grande para descansar. O local foi escolhido por ter abrigo e água para mercadores e animais. Atualmente o monumento está fechado, pois vai ser transformado em um museu digital.

Estação Velha

Outro endereço para quem quer conhecer mais sobre a história de Campina Grande é a Estação Velha. No início do século XX, quando Campina Grande era uma das maiores produtoras de algodão do mundo, havia uma grande movimentação nas linhas férreas para exportação do produto. Atualmente, a linha férrea da região é usada apenas como rota turística com o Trem do Forró, no São João.

Museu do Algodão

Ao lado da Estação Velha, outro local para visitação é o Museu de História e Tecnologia do Algodão, conhecido como Museu do Algodão. Nele está guardada a memória da cultura do algodão no estado da Paraíba, que tornou Campina Grande uma referência nesta cultura para o mundo. O museu foi fundado na década de 1970.

Memorial do Sãoo João funciona na Rua Tiradentes, no Centro de Campina Grande (Foto: Walysson Melo/G1 Paraíba/Arquivo)Memorial do Sãoo João funciona na Rua Tiradentes, no Centro de Campina Grande (Foto: Walysson Melo/G1 Paraíba/Arquivo)

Memorial do Sãoo João funciona na Rua Tiradentes, no Centro de Campina Grande (Foto: Walysson Melo/G1 Paraíba/Arquivo)

Memorial do Maior São João do Mundo

Para quem quer conhecer melhor a história do São João de Campina Grande, a cidade conta com um memorial do evento. Os visitantes podem conferir a história através de registros fotográficos, jornalísticos e com o acompanhamento de guias que explicam como a festa começou e se tornou a maior. Além do acervo que conta a história da festa, o memorial disponibiliza roupas e adereços para que os visitantes possam sentir o clima junino e registrar o momento.

O memorial está localizado na Rua Tiradentes, 165, no Centro da cidade, bem próximo ao Parque do Povo e funciona durante o ano todo de segunda a sexta feira das 14h às 17h. Em junho o horário muda para 16h até às 22h. É possível agendar as visitas também e a entrada é gratuita.

Em Galante, arraial com programação cultural aguarda turistas que chegam no Trem do Forró (Foto: Rafael Melo/G1)Em Galante, arraial com programação cultural aguarda turistas que chegam no Trem do Forró (Foto: Rafael Melo/G1)

Em Galante, arraial com programação cultural aguarda turistas que chegam no Trem do Forró (Foto: Rafael Melo/G1)

Galante

O São João de Campina Grande é considerado o Maior do Mundo pelo tempo de duração e por mobilizar todo o município. Na zona rural, não é diferente. O distrito de Galante recebe palco e estruturas com barracas, bares e restaurantes para receber forrozeiros da terra e turistas.

Nos fins de semana de junho, começando no sábado (10), o distrito recebe a vista do Trem do Forró, que sai da Estação Velha até Galante. No trem, os forrozeiros viajam ao som de trios de forró pé-de-serra dentro dos vagões. Em Galante também há shows, que são gratuitos.

Teatro Municipal Severino Cabral conta com shows, danças e peças todas as semanas (Foto: Gustavo Xavier / G1)Teatro Municipal Severino Cabral conta com shows, danças e peças todas as semanas (Foto: Gustavo Xavier / G1)

Teatro Municipal Severino Cabral conta com shows, danças e peças todas as semanas (Foto: Gustavo Xavier / G1)

Teatro Municipal

Para quem busca uma programação ainda mais cultural, um bom local para conhecer em Campina Grande é o Teatro Municipal Severino Cabral, localizado na Avenida Floriano Peixoto, no Centro. Semanalmente, o local é palco de shows, peças e espetáculos de dança regionais e clássicas. Boa parte da programação é grauita.

Parque da Criança, em Campina Grande, é uma boa opção de lazer para a família e prática de esportes (Foto: Leonardo Silva/Jornal da Paraíba/Arquivo)Parque da Criança, em Campina Grande, é uma boa opção de lazer para a família e prática de esportes (Foto: Leonardo Silva/Jornal da Paraíba/Arquivo)

Parque da Criança, em Campina Grande, é uma boa opção de lazer para a família e prática de esportes (Foto: Leonardo Silva/Jornal da Paraíba/Arquivo)

Parque da Criança

Quem curte parques e áreas verdes para piquenique, prática de esportes ou para levar crianças para brincar, um bom local é o Parque da Criança. Ele é aberto todos os dias pela manhã e tarde e conta com áreas verdes, quadras de esportes, campos de areia, parquinhos e pista para corrida. O local fica no bairro Catolé, ao lado do Açude Velho.

Feira Central de Campina Grande é local onde você pode encontrar de tudo da cultura regional para comprar (Foto: Ligia Coeli/G1/Arquivo)Feira Central de Campina Grande é local onde você pode encontrar de tudo da cultura regional para comprar (Foto: Ligia Coeli/G1/Arquivo)

Feira Central de Campina Grande é local onde você pode encontrar de tudo da cultura regional para comprar (Foto: Ligia Coeli/G1/Arquivo)

Feira Central

A Feira Central de Campina Grande é um local onde se pode encontrar frutas ou verduras da região, carnes, peixes, comidas típicas, doces, queijos, cereais, massas, farinhas, bebidas artesanais, brinquedos e várias outras peças artesanais. Além disso, quem visitar a feira pode degustar o melhor a tradicional comida nordestina, desde o bode guisado, carne de sol, um bom queijo de coalho ou uma saborosa perua ao molho.

Casa do Cumpade no Distrito de Galante oferece turismo rural  (Foto: Reprodução/TV Paraíba/Arquivo)Casa do Cumpade no Distrito de Galante oferece turismo rural  (Foto: Reprodução/TV Paraíba/Arquivo)

Casa do Cumpade no Distrito de Galante oferece turismo rural (Foto: Reprodução/TV Paraíba/Arquivo)

Bares e Restaurantes temáticos

Na zona rural, boas opções para um dia de lazer são a Fazenda Santana, o restaurante Casa di Cumpade, ou Casa de Chico, ambos em Galante. Os locais possuem estrutura cenográfica voltada para o São João, shows em palco e também passeios de cavalo, charrete, banho de piscina e até tirolesa, além de oferecer culinária regional.

Na área urbana de Campina Grande, o maior pólo gastronômico da cidade fica na Avenida Manoel Tavares, com vários bares, restaurantes e lanchonetes. A Avenida Severino Cruz, às margens do Açude Velho, também conta com outras opções. Alguns estabelecimentos oferecem shows.

G1

 
Redação
the authorRedação
Fundado em junho de 2017, o Página1 PB é um portal de notícias sediado em Campina Grande (PB), que tem compromisso com o verdadeiro jornalismo. Afinal, o Jornalismo mudou. Mas a verdade não!