20 de janeiro de 2022
recadao@pagina1pb.com.br
Esportes

Derrota histórica prova que a Globo não é mais invencível

Emissora líder no Ibope leva goleada do SBT durante transmissão da final da Libertadores

A derrota era esperada, mas foi muito mais dramática do que se previu. A Globo marcou apenas 9 pontos de média no confronto direto com o SBT ao longo das 2 horas e meia de transmissão da final da Libertadores entre Palmeiras e Flamengo, no sábado (27).

O canal de Silvio Santos registrou 26 pontos, quase 3 vezes mais. Esses números são da aferição prévia na Grande São Paulo, minuto a minuto em tempo real, e podem sofrer alteração após a consolidação. A pontuação definitiva será divulgada na tarde de segunda-feira (29).

Eventual acréscimo de 1 ou 2 pontos a mais não vai mudar o cenário catastrófico para a emissora carioca. Não se tem na memória de décadas recentes um dia no qual a Globo tenha perdido por diferença tão grande e ficado abaixo dos 10 pontos.

Em sábados “normais”, na faixa nobre (das 18h à meia-noite), a TV da família Marinho geralmente fica entre 20 e 30 pontos. Esse triunfo do SBT, que tem saído da estagnação com o futebol, expõe incomum fragilidade da poderosa Globo ao perder ou abrir mão de competições populares.

A profunda reestruturação financeira iniciada há 3 anos fez a cúpula do canal carioca rever investimentos e renegociar contratos. Não está mais disposta a pagar o preço astronômico de direitos de transmissão exigido por entidades como Conmebol, Fifa e FIA. Passou a considerar o custo-benefício e a privilegiar a possibilidade de lucro.

Com isso, abriu espaço para o SBT e a Band, que têm renascido no Ibope e conquistado boa repercussão nas redes sociais e na imprensa com eventos importantes, como Liga dos Campeões da Europa e Fórmula 1. A Globo, quem diria, se tornou um “inimigo” menos forte e mais fácil de ser derrotado.

Terra

Redação Página1 PB
Fundado em junho de 2017, o Página1 PB é um portal de notícias sediado em Campina Grande (PB), que tem compromisso com o verdadeiro jornalismo. Afinal, o Jornalismo mudou. Mas a verdade não!