Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Política

Dinheiro na mão: Bolsonaro terá R$ 1,8 bi extra para gastar com correção no teto dos gastos

A previsão de inflação adotada pelo Congresso na elaboração do Orçamento deste ano vai garantir ao governo Jair Bolsonaro (PL) espaço extra de R$ 1,8 bilhão para gastar em 2022, ano em que o presidente buscará a reeleição.

Os congressistas aprovaram a peça orçamentária com uma correção de 10,18% no teto de gastos, a regra que limita o avanço das despesas à inflação. Essa era a projeção para o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) para 2021. Com isso, o teto de gastos foi fixado em R$ 1,679 trilhão para este ano.

A inflação, porém, acabou ficando em 10,06%, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Sob essa variação, o limite de despesas seria de R$ 1,677 trilhão. A diferença exata é de R$ 1,829 bilhão, para todos os Poderes. Apenas o Executivo ficará com um ganho de R$ 1,75 bilhão.

O governo entende que não é obrigado a cortar o excesso do teto de gastos no exercício de 2022.

Folhapress

Redação Página1 PB
Fundado em junho de 2017, o Página1 PB é um portal de notícias sediado em Campina Grande (PB), que tem compromisso com o verdadeiro jornalismo. Afinal, o Jornalismo mudou. Mas a verdade não!