Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Política

Jornalista diz que dono de empresa que deu calote de R$ 48 milhões na compra de respiradores do Consórcio Nordeste foi sócio de parentes de petista

A informação é do colunista Cláudio Humberto, que assegura: Luiz Henrique Ramos Jovino, um dos proprietários da empresa HempCare, foi sócio de dois parentes do vereador petista Eduardo Suplicy (SP).

A HempCare, especialista em venda de produtos derivados da maconha, como se sabe, vendeu 300 respiradores para o Consórcio Nordeste por R$ 48 milhões, recebeu o dinheiro e nunca entregou os aparelhos. Na ocasião, quem presidia o Consórcio Nordeste era o governador baiano Rui Costa (PT).

Segundo Cláudio Humberto, Luiz Henrique, que é investigado pela Polícia Federal, tem um passado de sociedade com Roberto Matarazzo Suplicy, irmão do vereador Eduardo Suplicy, e Roberta Matarazzo Suplicy, sobrinha do petista e filha de Roberto. Eles foram sócios no restaurante Filomena.

“Ainda vigorando a sociedade com a família Suplicy, nomes que figuram no escândalo dos respiradores do Consórcio Nordeste já se ligavam. É o caso de Edinho Silva, envolvido no caso, que presidia o PT-SP, quando Eduardo Suplicy era senador”, arremata Cláudio Humberto. (mais em https://bit.ly/3wgM6jq)

Edinho do PT – Também encrencado na operação malsucedida é o prefeito Edinho Silva (Edinho do PT). Segundo o Ministério Público Federal, a prefeitura de Araraquara (SP), governada pelo petista, teria sido beneficiada por 30 respiradores exigidos como “propina” pelo fechamento do negócio.

Segundo o MPF, “o Consórcio Nordeste firmou contrato com a empresa Hempcare Pharma Representações LTDA para o fornecimento de 300 respiradores, mas, para viabilizar a negociação, teria exigido a doação de 30 respiradores ao município de Araraquara”. A informação está na Veja (https://bit.ly/3Mj72vM)

Tá na Área

 
Redação Página1 PB
Fundado em junho de 2017, o Página1 PB é um portal de notícias sediado em Campina Grande (PB), que tem compromisso com o verdadeiro jornalismo. Afinal, o Jornalismo mudou. Mas a verdade não!