Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Política

Julgamento da chapa Dilma-Temer no TSE vai se estender até sábado

O segundo dia do julgamento da chapa da ex-presidente Dilma Rousseff e do presidente Michel Temer se concentrou na análises de preliminares, que são questionamentos da defesa sobre a regularidade do processo.

O relator do caso, ministro Herman Benjamin, se manifestou contrário a três pedidos dos advogados e defendeu o uso das delações de executivos da Odebrecht e do casal de marqueteiros João Santana e Mônica Moura.

As preliminares, relacionadas às delações, tratavam de cerceamento de defesa, ampliação da causa de pedir e o uso de provas consideradas ilícitas pela defesa por causa de vazamentos de colaboração premiada. Esta última tese já foi rejeitada pelos ministros.

Mas para as outras duas preliminares sejam rejeitados, é preciso que demais membros do Tribunal se manifestem, o que só deve acontecer nesta quinta-feira (08), quando também o relator deve ler o voto. Ele vai julgar se a chapa cometeu ou não abuso de poder político e econômico nas eleições de 2014.

E para chegar à decisão final sobre o caso, o relator defendeu que as provas obtidas com as delações devem ser consideradas. E completou dizendo que não se pode fechar os olhos para as provas da Odebrecht

Mas outros ministros são contra o uso dessas delações. O presidente da Corte, Gilmar Mendes rebateu o relator.

A expectativa é de que o processo se prolongue até sábado. Por isso, Gilmar Mendes convocou sessões para amanhã, sexta-feira e sábado nos seguintes horários: às 9 horas da manhã, às duas da tarde e às 7 da noite.

Para o advogado de Temer, Gustavo Guedes, o caso é complexo e, por isso, exige mais tempo.

Segundo a defesa de Dilma, a convocação de novas sessões dá a entender que nenhum ministro pedirá vista, ou seja, mais tempo para analisar o caso. É o que afirma o advogado Flávio Caetano.

A ação que pede a cassação da chapa Dilma/Temer foi movida pelo PSDB e pela coligação Muda Brasil, que teve como candidato a presidente o senador afastado Aécio Neves.

 
Redação
the authorRedação
Fundado em junho de 2017, o Página1 PB é um portal de notícias sediado em Campina Grande (PB), que tem compromisso com o verdadeiro jornalismo. Afinal, o Jornalismo mudou. Mas a verdade não!