Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Política

Moro condena Sérgio Cabral a 14 anos de prisão

O juiz Sergio Moro, titular da 13ª Vara Federal de Curitiba, condenou nesta terça-feira o ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB-RJ) a 14 anos e 2 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. É a primeira sentença proferida contra o peemedebista no âmbito da Operação Lava Jato — ele ainda é réu em outras nove ações na Justiça Federal do Rio de Janeiro. O governador é acusado de receber cerca de 2,7 milhões de reais de propina da empreiteira Andrade Gutierrez referente às obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), da Petrobras, entre 2007 e 2011.

Além de Cabral, também foram condenados o ex-secretário de Governo do Rio Wilson Carlos Cordeiro de Silva Carvalho — a 10 e 8 meses de reclusão —  e o ex-sócio do ex-governador e apontado como “homem da mala” do mesmo, Carlos Emanuel de Carvalho Miranda — a 10 anos. Os dois também por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Por outro lado, Moro decidiu absolver a mulher do ex-governador Adriana de Lourdes Alcelmo dos mesmos crimes “por falta de prova suficiente de autoria ou participação”, conforme escreveu na decisão. A esposa de Carlos Miranda, Mônica Carvalho, também foi absolvida.

A ação em questão trata especificamente de um contrato de terraplanagem do Comperj, firmado em 28 de março de 2008 entre a Petrobras e um consórcio de empreiteiras, entre elas a Andrade Gutierrez. A obra foi orçada inicialmente em 819,8 milhões de reais, recebeu 5 aditivos e acabou custando aos cofres da estatal 1,17 bilhões de reais, segundo a denúncia da procuradoria de Curitiba.

 
Redação
the authorRedação
Fundado em junho de 2017, o Página1 PB é um portal de notícias sediado em Campina Grande (PB), que tem compromisso com o verdadeiro jornalismo. Afinal, o Jornalismo mudou. Mas a verdade não!