15 de outubro de 2021
recadao@pagina1pb.com.br
DestaquesParaíba

Os desencontros entre João Azevedo e Veneziano que firmam o racha

A relação entre o governador João Azevedo e o Senador Veneziano Vital do Rego nunca foi mil maravilhas, eleitos em 2018 pela força do ex-governador Ricardo Coutinho ambos foram coadjuvantes naquele ano, mesmo sendo eles os principais vitoriosos ao lado da senadora Daniella Ribeiro, tendo João Azevedo surpreendido a todos e ganho no primeiro turno das eleições, fato não conseguido pelas grandes lideranças paraibanas como Maranhão, Cassio e o próprio Ricardo.

Mas o que as aparências mostravam de uma relação harmoniosa nunca existiu de verdade e de fato e em 2020 o que se viu foi um governador mais forte principalmente em João Pessoa ao fazer aliança com o PP e Cicero Lucena e a derrota acachapante da esposa de Veneziano, a Secretária Ana Claudia, ainda no primeiro turno, perdendo para Bruno e Romero, refazendo forças e aprimorando pensamentos.

Os intermináveis cafés em Brasileia, a força do cargo de Vice-presidente do Senado, o fundo partidário do MDB e um grupo de oposição esfacelado na Paraíba somados a descontentes levou Veneziano a realmente aceitar a possibilidade de concorrer às eleições do próximo ano, sem ter muito o que perder, na visão de aliados, Veneziano poderia se dar ao luxo de concorrer sem medo de uma derrota. Aliados menosprezam a força do governador ao ponto de afirmarem que João nunca realmente foi testado.

Em contrapartida, João Azevedo fortalecido pelas alianças formadas em 2020 com o PP e Cicero Lucena, conta a seu favor com as duas principais maquinas publicas do Estado, e ao tempo que se fortalece com alianças com prefeitos e a boa convivência com o prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima, que de forma inteligente abriu canal de dialogo e saiu da mesmice de briguinhas de vizinhas que Campina e o Estado ficaram acostumados de ver. João Azevedo que estava refém de Adriano Galdino, Efraim Filho e Veneziano, com apenas um olhar derrubou barreiras e se fortaleceu quebrando de vez a oposição que apostava em Romero Rodrigues, mesmo minando sua intenção de concorrer ao pleito de 2022.

O jogo zerou e depois da ultima sexta-feira, 08 a exposição da relação ruim chegou de vez, a saída de Ana Claudia da coletiva de João Azevedo na Cagepa, mostrou o que todos sabiam, Veneziano e João não estarão no mesmo palanque em 2022, e agora teremos uma eleição disputada, talvez mais cara, mas que mostrará pelo menos um perdedor. A Oposição que talvez não tenha mais candidato ao governo em 2022. O palco esta pronto e o encontro de João Azevedo e Veneziano que não ocorre desde o primeiro semestre deste ano, poderá acontecer de verdade só no próximo ano.

 

Redação Página1 PB
Fundado em junho de 2017, o Página1 PB é um portal de notícias sediado em Campina Grande (PB), que tem compromisso com o verdadeiro jornalismo. Afinal, o Jornalismo mudou. Mas a verdade não!