4 de agosto de 2021
recadao@pagina1pb.com.br
Brasil

Pessoas com doenças crônicas neurológicas são incluídas no grupo de comorbidades para vacinação contra Covid-19

Pessoas com doenças crônicas neurológicas serão incluídas no grupo prioritário de comorbidades para a vacinação contra a Covid-19. A Secretaria de Estado da Saúde (SES) publicou uma Nota Informativa com instruções sobre a inclusão de doenças crônicas neurológicas no grupo de comorbidades da Campanha Nacional de Vacinação contra Covid-19. A Paraíba seguiu as orientações apresentadas no Plano Nacional de Operacionalização (PNO), elaborado pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI). Todas as alterações realizadas foram prontamente avaliadas e incluídas no Plano Estadual de Vacinação Covid-19.

O secretário executivo de Saúde, Daniel Beltrammi, disse que a inclusão desse grupo é importante, pois essas pessoas são extremamente vulneráveis. “Quando a gente fala das comorbidades neurológicas, a gente está falando das doenças que podem fazer mal para o nosso cérebro. Foram incluídas aquelas pessoas que tiveram acidente vascular cerebral, o famoso AVC ou derrame, porque depois desses eventos elas podem ficar com dificuldade respiratória e de mobilidade. Pessoas com demências, que vão perdendo a capacidade de raciocínio lógico e ficam com dificuldade de se alimentar, de engolir adequadamente. Além disso, outras deficiências que vão sendo avaliadas a depender dos laudos dos médicos e também doenças degenerativas. São várias as doenças degenerativas neuromusculares que vão permitir que as pessoas, por serem extremamente frágeis, possam ser vacinadas no grupo de prioridade das comorbidades”, pontua.

A técnica do Núcleo de Imunizações da SES, Milena Vitorino, reforça que os grupos elencados no plano serão contemplados com a vacinação, porém de forma escalonada.  “Não dispomos de doses do imunizante imediatas para vacinar todos os grupos em etapa única. A distribuição está sendo detalhada por meio de informes técnicos e notas informativas no decorrer da campanha”, explica.

Atualmente, 1.217.269 doses da vacina já foram aplicadas na Paraíba, sendo 807.772 para d1 e 409.497 para d2. Dos grupos prioritários já contemplados, segue o quantitativo de pessoas que tomaram pelo menos a primeira dose: trabalhadores de saúde, com 135.16 pessoas e 206.926 doses aplicadas; 60 anos ou mais, com 536.719 pessoas e 853.338 doses aplicadas; 60+ institucionalizadas, 8.164 e 11.510 doses aplicadas; indígenas, com 9.255 pessoas e 17.385 doses aplicadas;  Quilombolas, com 5.269 pessoas e doses aplicadas; deficiência institucionalizadas, 171 pessoas e 206 doses aplicadas; comorbidades, com 93.306 pessoas e 101.740 doses aplicadas; deficiência permanente grave, 5.315 pessoas e 5.541 doses aplicadas; gestantes e puérperas, com 1817 pessoas; Forças de Segurança, Salvamento e Forças Armadas, 3.904 pessoas e 4.482 doses aplicadas.

Confira abaixo a lista completa das comorbidades incluídas como prioritárias para vacinação contra a covid-19 de acordo com as descrições do PNO:

Doenças crônicas neurológicas

Doença cerebrovascular (acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico; ataque isquêmico transitório; demência vascular); doenças neurológicas crônicas que impactem na função respiratória, indivíduos com paralisia cerebral, esclerose múltipla, e condições similares; doenças hereditárias e degenerativas do sistema nervoso ou muscular; deficiência neurológica grave.

Diabetes

Qualquer indivíduo com diabetes.

Pneumopatias crônicas graves

Indivíduos com pneumopaas graves incluindo doença pulmonar obstruva crônica, fibrose císca, fibroses pulmonares, pneumoconioses, displasia broncopulmonar e asma grave (uso recorrente de corticóides sistêmicos, internação prévia por crise asmática).

Hipertensão Arterial Resistente (HAR) e nos estágios 1,2 e 3 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade. – HAR

Quando a pressão arterial (PA) permanece acima das metas recomendadas com o uso de três ou mais anti-hipertensivos de diferentes classes, em doses máximas;  PA sistólica entre 140 e 179mmHg e/ou diastólica entre 90 e 109mmHg na presença de lesão em órgãoalvo e/ou comorbidade ou  PA sistólica ≥180mmHg e/ou diastólica ≥110mmHg independente da presença de lesão em órgão-alvo (LOA) ou comorbidade.

Insuficiência cardíaca (IC)

IC com fração de ejeção reduzida, intermediária ou preservada; em estágios B, C ou D, independente de classe funcional da New York Heart Association.

Cor-pulmonale e Hipertensão pulmonar

Cor-pulmonale crônico, hipertensão pulmonar primária ou secundária.

Cardiopatia hipertensiva

Cardiopatia hipertensiva (hipertrofia ventricular esquerda ou dilatação, sobrecarga atrial e ventricular, disfunção diastólica e/ou sistólica, lesões em outros órgãos-alvo).

Síndromes coronarianas

Síndromes coronarianas crônicas (Angina Pectoris estável, cardiopatia isquêmica, pós Infarto Agudo do Miocárdio, outras).

Valvopatias

Lesões valvares com repercussão hemodinâmica ou sintomática ou com comprometimento miocárdico (estenose ou insuficiência aórtica; estenose ou insuficiência mitral; estenose ou insuficiência pulmonar; estenose ou insuficiência tricúspide, e outras).

Miocardiopatias e Pericardiopatias

Miocardiopatias de quaisquer etiologias ou fenótipos; pericardite crônica; cardiopatia reumática.

Doenças da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas

Aneurismas, dissecções, hematomas da aorta e demais grandes vasos.

Arritmias cardíacas

Arritmias cardíacas com importância clínica e/ou cardiopatia associada (fibrilação e flutter atriais; e outras).

Cardiopatias congênita no adulto

Cardiopatias congênitas com repercussão hemodinâmica, crises hipoxêmicas; insuficiência cardíaca; arritmias; comprometimento miocárdico.

Próteses valvares e Dispositivos cardíacos implantados

Portadores de próteses valvares biológicas ou mecânicas; e dispositivos cardíacos implantados (marca-passos, cardio desfibriladores, ressincronizadores, assistência circulatória de média e longa permanência).

Doença cerebrovascular

Acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico; ataque isquêmico transitório; demência vascular.

Doença renal crônica

Doença renal crônica estágio 3 ou mais (taxa de filtração glomerular < 60 ml/min/1,73 m2) e/ou síndrome nefrótica.

Imunossuprimidos

Indivíduos transplantados de órgão sólido ou de medula óssea; pessoas vivendo com HIV; doenças reumáticas imunomediadas sistêmicas em atividade e em uso de dose de prednisona ou equivalente > 10 mg/dia ou recebendo pulsoterapia com corticoide e/ou ciclofosfamida; demais indivíduos em uso de imunossupressores ou com imunodeficiências primárias; pacientes oncológicos que realizaram tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos 6 meses; neoplasias hematológicas.

Hemoglobinopatias graves

Doença falciforme e talassemia maior.

Obesidade mórbida

Índice de massa corpórea (IMC) ≥ 40.

Síndrome de Down

Trissomia do cromossomo 21.

Cirrose hepática

Cirrose hepática Child-Pugh A, B ou C.

Redação Página1 PB
Fundado em junho de 2017, o Página1 PB é um portal de notícias sediado em Campina Grande (PB), que tem compromisso com o verdadeiro jornalismo. Afinal, o Jornalismo mudou. Mas a verdade não!