Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Brasil

Saúde orienta municípios a intensificarem ações de monitoramento da tuberculose

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou, nesta terça-feira (28), o Boletim Epidemiológico anual da tuberculose (TB). O levantamento indica que em 2021 foram notificados 1.283 novos casos do agravo. Comparado ao ano anterior, houve um aumento de 139 casos nas notificações, o que sugere uma melhora nas ações de busca ativa por parte dos municípios. O boletim também alerta para a taxa de abandono ao tratamento, que na Paraíba é de 9,5%, quando o estipulado pelo Ministério da Saúde é de 5%.

A tuberculose é uma doença infecciosa de fácil transmissão, sendo a forma pulmonar a principal responsável pelo ciclo na cadeia de transmissão. De acordo com a chefe do Núcleo de Doenças Crônicas Negligenciadas (NDCN), Anna Stella Pachá, é importante que as equipes dos serviços municipais lancem mão de estratégias que possam garantir a detecção de novos casos e identificar contactantes para que o tratamento comece em tempo oportuno.

“A tuberculose é uma doença que tem cura e o tratamento está disponível gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde, mas há uma necessidade de fortalecer o monitoramento dos casos em âmbito municipal para que possamos ter dados ainda mais fiéis sobre a conclusão do tratamento e cura, bem como a taxa de abandono, que pode causar um prolongamento no tratamento do paciente, além do aumento na cadeia de transmissão”, salienta Anna Stella.

 

O tratamento do agravo dura em média seis meses, exceto para casos específicos descritos no protocolo terapêutico. Para diminuir a taxa de abandono, que na Paraíba é de 9,5%, uma das estratégias sugeridas pela vigilância em saúde estadual é de que seja feito o Tratamento Diretamente Observado (TDO), que consiste em monitorar a administração do medicamento pelo paciente.

“Tivemos um impacto maior no abandono de tratamentos da tuberculose em virtude da pandemia de covid-19, quando muitos pacientes não procuraram os postos para dar continuidade ao processo de cura. Para esses casos, bem como para outros de abandono, orientamos que seja feita a busca ativa e uma nova investigação diagnóstica, para avaliar o paciente”, reforça.

O abandono ao tratamento da tuberculose pode causar uma resistência ao medicamento utilizado no combate ao agravo, sendo necessária a reavaliação terapêutica e prolongamento do processo. No Boletim, a SES ressalta que é preciso garantir o acesso adequado aos serviços na saúde primária, atentar para sinais da tuberculose semelhantes aos da covid-19, bem como manter as atividades de monitoramento e qualificação sobre as notificações

Redação Página1 PB
Fundado em junho de 2017, o Página1 PB é um portal de notícias sediado em Campina Grande (PB), que tem compromisso com o verdadeiro jornalismo. Afinal, o Jornalismo mudou. Mas a verdade não!