2 de agosto de 2021
recadao@pagina1pb.com.br
Cidades

Vereadores de Montadas da base do prefeito repudiam atitude da diretora do Hospital de Pocinhos por perseguição aos montadenses

Os vereadores da situação em Montadas aproveitaram a sessão ordinária da Câmara de vereadores para repudiarem as palavras e ações da diretora do Hospital publico de Pocinhos, a enfermeira Jussara Souza, que num áudio destinado aos servidores que atendem os pacientes que chegam a aquela instituição em busca de socorro, foram orientados a não aceitarem pacientes oriundos do Municipio de Montadas, por não serem conveniados.

“O que for pode voltar. Se for uma dor você pode falar assim: o atendimento é em Campina. A gente não atende Montadas não”, narrou. Jussara ainda enfatiza que é preciso o prefeito de Montadas, Jonas de Souza, falar com a atual prefeita de Pocinhos, Eliane Galdino. Ela ainda ressalta: “Montadas em peso pode voltar”. “Não atende Montadas. Só depois que a prefeita falar com o prefeito de lá. Ou o prefeito de lá falar com o de cá”.

Os vereadores questionaram a atitude desumana da servidora que ocupa a direção daquele hospital e lamentaram a postura vil da diretora.

“Num momento tão importante quanto este, que somos tomados pela pandemia sermos barrados de ser atendidos num hospital apenas porque somos de Montadas é no mínimo desumano”, afirmou o vereador Luciano D’água.

Já o vereador Fagner Junior disse que esta perseguição é só com Montadas, pois outros municipios não são conveniados com Pocinhos, mas são portas abertas pois os prefeitos votam no deputado estadual Adriano Galdino, esposo da Prefeita Eliane Galdino. “Realmente é coisa de doido, pois sabemos que é perseguição pura, não votamos no deputado por isso é que é barrado, cadê o amor do ‘homem’ por Montadas?, indagou Junior de Iremar.

Já o vereador Helium Silva disse que não se impressiona com essa atitude, pois sabe que é perseguição pura. “Estamos acostumados com perseguição, Montadas não recebe uma obra estruturante do Governo do Estado por causa do deputado que proíbe, o SUS é universal e um direito de todos, precisamos denunciar”, afirmou Helium.

Já o vereador Ronaldo de Oliveira fez questão de rebater os vereadores da oposição, Ramalho, Dilson (Simba) e Katia, que são aliados do deputado Adriano Galdino. “Defender o indefensável, espero que os vereadores da oposição usem a tribuna e digam que a diretora esta certa nessa atitude de perseguir os montadenses, sabemos que os pacientes encaminhados por eles são sempre atendidos por beneficiamentos politico-eleitoral, em 2022 não se preocupem o hospital estará de porta aberta aos montadenses, pois o deputado é candidato”, ironizou Ronaldo de Oliveira.

Já o presidente da Câmara de vereadores de Montadas, Yuri Veríssimo disse de sua revolta e de sua solidariedade com os montadenses que procuram atendimento nas madrugadas frias de Pocinhos. “Sabemos que apenas poucos montadenses procuram aquela unidade hospitalar que é porta aberta, mas que é fechada aos montadenses que não são ligados ao deputado Adriano Galdino, Montadas realmente não é conveniada com Pocinhos e não encaminha seus filhos para o Hospital daquele município, a procura é devido a proximidade e nas madrugadas, são alguns dos nossos irmãos que buscam atendimento, mas infelizmente a perseguição é lamentável”.

Os vereadores repudiaram a ação e pediram uma providencia ao Secretário de Saúde de Montadas para que possa dialogar com a Secretaria de Saúde Pocinhos na busca de uma relação menos perseguidora por parte da direção daquele hospital. “Sabemos que ela é um pau mandado do deputado Adriano Galdino e que não manda em nada”, afirmou Ronaldo de Oliveira.

https://www.facebook.com/camaramontadas/videos/480591543181074

Redação Página1 PB
Fundado em junho de 2017, o Página1 PB é um portal de notícias sediado em Campina Grande (PB), que tem compromisso com o verdadeiro jornalismo. Afinal, o Jornalismo mudou. Mas a verdade não!