Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Esportes

Vice aproveita viagem de presidente da FPF à França e tenta tomar poder à força

Crise na Federação Paraibana de Futebol. De um lado, o vice-presidente Nosman Barreiro tenta assumir o cargo a partir de um ato aministrativo, alegando que a entidade está sem comando. De outro, o presidente Amadeu Rodrigues denuncia da França – onde está como chefe da delegação brasileira no Torneio de Toulon – que está sendo vítima de uma tentativa de golpe.

Tudo começou por volta das 16h, quando o vice-presidente chegou à entidade acompanhado de seu advogado e de alguns aliados, dizendo que iria tomar posse como novo presidente da FPF. A confusão, como não poderia ser diferente, foi generalizada. E os aliados de Amadeu reagiram.

De acordo com Nosman Barreiro, o presidente deveria ter lhe passado o cargo quando viajou para a França. E, como isso não aconteceu, a entidade ficou acéfala, de forma que ele poderia requerer o cargo que tinha ficado vago.

– Se o presidente não está no comando, quem assume é o vice. Todo mundo sabe. Está no estatuto. Cadê o presidente? Se ele não está aqui, eu estou. Agora eu sou o presidente e quem manda aqui sou eu – declarou Nosman.

Amadeu, obviamente, discorda de seu vice. Diz que tudo não passa de mais uma tentativa de seu ex-aliado de assumir o poder à força e que tinha deixado com o seu diretor jurídico, Marcos Souto Maior Filho, uma procuração que lhe transmitia provisoriamente o cargo de presidente. Ele diz que está voltando imediatamente à Paraíba para reassumir o seu cargo.

Cada lado cita artigos diferentes do regimento interno da FPF para justificar suas posições.

A relação de ambos não era boa há muito tempo. Mas ambos estão em guerra declarada desde o mês passado, quando Nosman entrou com uma ação judicial pedindo o afastamento de Amadeu Rodrigues do cargo de presidente, almejando com isso asumir o cargo em seu lugar.

Falando em nome do presidente Amadeu Rodrigues, Marcos Souto Maior Filho contestou os argumentos de Nosman. Ele disse que as medida cabíveis seriam tomadas urgentemente e já previu, inclusive, que o vice-presidente da FPF vai ser afastado do futebol.

– Não tem cabimento o que Nosman está fazendo. Não tem validade. Ele não vai assumir a FPF e vai se dar mal nessa história toda. Ele vai ser banido do futebol, não vai mais poder entrar em qualquer estádio do Brasil – contra-argumentou Marcos Souto.

Entenda o caso

Amadeu Rodrigues e Nosman Barreiro foram eleitos presidente e vice-presidente da FPF respectivamente em 12 de dezembro de 2014, com 52,85% dos votos, em uma chapa apoiada pela ex-presidente Rosilene Gomes, que tinha sido afastada do cargo meses antes. Eles tomaram posse em 2 de janeiro do ano seguinte. Entretanto, Nosman conta que quatro meses depois os dois romperam relações e, por isso, ele se manteve afastado da entidade.

Amadeu Rodrigues e Nosman Barreiro comemoram vitória com Rosilene Gomes, José Renato e o vereador Dinho (Foto: Cadu Vieira / GloboEsporte.com/pb)

Amadeu Rodrigues e Nosman Barreiro comemoram vitória com Rosilene Gomes, José Renato e o vereador Dinho (Foto: Cadu Vieira / GloboEsporte.com/pb)

Em agosto do ano passado, houve rumores de renúncia por parte de Amadeu, após ele ter sido derrotado na assembleia extraordinária na qual pretendia mudar o estatuto da entidade. Nosman chegou a dizer que Amadeu tinha elaborado uma carta-renúncia, mas o presidente seguiu à frente da entidade.

Inclusive, foi divulgado na época que a tentativa de mudança do estatuto da FPF por Amadeu gerou rompimento com a ex-presidente Rosilene Gomes. Mas Nosman declara que o racha entre os dois aconteceu bem antes.

*Com colaboração de Cadu Vieira, Cisco Nobre, Expedito Madruga e Silas Batista

GE Paraíba

 
Redação Página1 PB
Fundado em junho de 2017, o Página1 PB é um portal de notícias sediado em Campina Grande (PB), que tem compromisso com o verdadeiro jornalismo. Afinal, o Jornalismo mudou. Mas a verdade não!